terça-feira, janeiro 17, 2006

Canion



Esgarçar os ouvidos do eco
para ver de que escarpa
nasce o grito

Cuidar de não ferir o limo
quando a pedra falseia
sob o pé

(É de Deus proteger
aos inconseqüentes)

Transfixar espinho
não aprimora
o canto.

8 comentários:

Vítor Leal Barros disse...

não creio que deus proteja os inconsequentes... o tempo encarrega-se de tudo...e uma vez feito, para sempre feito (condenado ou perdoado)- a segunda aprimora o canto, creio...

gosto de teus poemas

CeciLia disse...

Vitor

que dramático isso! Uma vez feito, para sempre pode ser refeito, né?

Sobre o espinho - bem - é uma longa conversa.

Abraço

Vítor Leal Barros disse...

cecília, uma vez feito, para sempre feito... agora acho que há sempre a oportunidade de relevar e perdoar, quando o que passou foi mau

um homem mata outro... é um facto... há a possibilidade de perdoar o assassino,mas nunca de refazer o que foi feito... entendes a minha perspectiva?

holeart disse...

...

Azzuma disse...

Maravilhoso... vc e a Bárbara Lia escrevem coisas tão lindas

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

I like it! Good job. Go on.
»