terça-feira, janeiro 10, 2006

Pedras

Não importa quantas pedras
se coloquem sobre o passado:
elas não esmigalham a memória.
Quando era criança
o pai enterrou bem fundo
a morte do meu primeiro cão.
Coloquei sobre o monturo
de terra uma pedra
branca e uma flor.
- Chora, minha filha, chora.
Só as lesmas se derretem
com o sal.

15 comentários:

Vítor Leal Barros disse...

bonito poema... (por vezes era bom que também a memória derretesse com o sal)

CeciLia disse...

Pois é, Vítor, pois é.

Melhor mesmo é que - lesma e memória vivendo sob as pedras -, uma delas sobrevive...
aos sais.

Abraços,

Lia

Lu disse...

Vai um terceto de improviso, minha Lia:

Das indissolubilidades

Memórias,
cristais de pedra
e o sais.

CeciLia disse...

Os sais das pedras
na água da fonte dos olhos
outros ais...

(Lu, querida, obrigada pelo teu terceto de cristais).

holeart disse...

olhe....

gostei mesmo

fique bem


a proposito: tem um olho muito bonito

CeciLia disse...

Cesar,

obrigada. :-)

romero disse...

Cecilia, debo decirte que es un placer conocer tu blog. Tus palabras.
Con ese poema, me quede con una sonrisa, con palabras sencillas, hablaste de tus recuerdos de niña .
Encantador !

besitos :)

Bárbara Lia disse...

Cecília,
as memórias da infância são
as que mais fixam, ao menos
para mim...
abração

douglas D. disse...

a infância sob o sol, escrevendo cores no peito do espantalho, já não de todo vazio [um sonho percorrendo a medula, um sonho nos fazendo brincar, um sonho despertando aquilo tudo que ficou, mesmo que por demais perto do fim]

muito bom descobrir o seu blog!

Wagner disse...

admirava teus poemas nos ônibus. descobri o blog agora e foi uma felicidade tamanha.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Muito bom.

Beijos do CC.

douglas D. disse...

vc já conhecia o que escrevo?que surpresa. mais uma vez, gosto muito do que leio aqui. muito bom!

carla disse...

oi Cecilia,
boa poesia a sua. Coisas essas que parecem simples, e sao simples mesmo, mas fazem parte de nossa vida.
Um grande abraço. Prazer em conhece-la.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi Cecilia!
Grato pela visita lá no BALAIO DE LETRAS.

Estás linkada, ok?

Beijos do CC.

Rubens da Cunha disse...

Gosto muito de trabalhar com a memória, é um tema recorrente. teu poema me disse algo que eu não sabia, de forma muito intensa, obrigado por me ensinar isso, e obrigado pelo link, será pago na mesma moeda :))
abraços
Rubens