segunda-feira, fevereiro 06, 2006

Deserto, decerto!


Porque somos mundo e asa e ovo e vida
porque somos cosmo e margarida
porque somos briga e volta
e anseio por mais lida

por assim sermos temos a conquista
do pacto da surpresa da acolhida

Se hoje me fizesse deserto

serias pirâmide
Se decerto teu rio secasse
eu inundação cortante de sulcos
sobre os veios da tua terra esturricada

Seria chuva de faraós
ou seria caminho
Mais nada

13 comentários:

Edilson Pantoja disse...

Olá! Vim agradecer a visita, o comentário. Teria que agradecer também pelo belo poema,cartão de visita, o que já faço! Volte sempre! Quanto a mim, valer-me-ei da asa e, vonado, tornarei.

marcia cardeal disse...

as palavras tuas deixam sulco. que lindo poema!
beijo.

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!

Passando por aqui...
Belo poema.

Beijos do *CC*

Lu disse...

"ou seria caminho
Mais nada"

Mais nada? Ah, minha Lia, ser caminho, abrir trincheiras, algumas vezes, é um ato de vitória.
Beijos saudosos,

Re disse...

Apesar do silencio, sempre atento.
Seu blog está cada dia mais bonito em escrita e forma.
Bjs
Re

Rubens da Cunha disse...

isso podia virar música, acho que ficaria muito bom,
a sonoridade do poema é excelente.
beijo
rubens

Vivi disse...

Simplesmente adorei suas palavras... Posso colocar um link no meu blog?
Um abraço!

Theo G. Alves disse...

olá... vim conhecer tua casa, tua lua...
se aceitares minhs visitas, eu voltarei.

um abraço!

Azzuma disse...

Lindo poema...

Azzuma disse...

Cecíla, copiei alguém sem me dar conta?

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Here are some links that I believe will be interested

Anônimo disse...

Very best site. Keep working. Will return in the near future.
»