segunda-feira, março 27, 2006

Porto Alegre

Foto: Adriana Franciosi

Porque esta cidade

é sempre uma festa

eu sigo fotografando

seus verdes silêncios

e os dias já parecem

em pleno azul.

Os caules descamam

indiferentes ao estio.

As folhas amarelam

e não sabem

das estações.

Eu sei.

Daqui a pouco

será novamente

abril.

11 comentários:

Renato disse...

Linda nossa cidade vista pelos seus olhos.

Edilson Pantoja disse...

Saber das estações é saber do tempo. Revela uma posição de "fora". Bela imagem, poema idem.
Abraços!

Wagner disse...

Mae.... esse teu blog esta lindo de mais..!!! Me faz lembrar o quanto te amo.. e me deixa muito alegre!!!
Grande bjoooo

Warum Nicht? disse...

.
que rima suave!

teus versos "descem redondo" (desculpe pela metáfora skoliana, mas o que vale é transmitir esta idéia pra ti...)
.
um prazer te ler!

Marilena disse...

que poema delicioso; que deslumbramento provo em face de sua palavra; que saudades me deu de porto alegre e de seus "verdes silêncios". um beijo.

Warum Nicht? disse...

ps:
considere-se "linkada"!

marcos pardim disse...

"um porto alegre, um porto feliz...", ressoa-me na voz de nando reis, despedindo-se ao final de seu dvd, gravado ao vivo aí. lembrei-me, lendo. e lamentei ainda não ter ancorado neste porto. 1 beijo

Dalva disse...

Bonito! é como se fosse um haikai, e só quem vê o mundo pela lente da poesia pode transformá-lo em um retrato tão vivo.

Gostei. Gosto de Porto Alegre.

Azzuma disse...

Poa, passei maus bocados por aí mas é uma cidade muito cheia de personalidade. Aqueles marinheiros do guaíba, o vendedores de passagem entoando um mantra "va-lê, va-lê". Muito bacana.

Mas o que eu gostava mesmo era aquele viaduto no centro, não me lembro o nome.

Belo poema, poeta.

bjs

marcia cardeal disse...

Ah, que saudades me deu dos plátanos da Av. Caçapava, onde morei! Descer a Protásio a pé domingo de manhã, no friozinho de abril, pra encontrar o calor dos amigos na Redenção...beijo pra ti.

NIKY - O CARA disse...



Linda essa decclaração de amor por Porto Alegre, eu morei um tempo nessa cidade e no bairro Moinhos de Vento, com a Mostardeiro eu olhava da janela o japonês que vendia pão no hortifruti, eu olhava a meu amigo Carlos entrar na farmácia pra comprar cigarros, aqui loera o máximo.
Morro de saudades de POA, mais acho que esse carioca aqui não terá mais a oportunidade de pisar nessa terra linda que aprendi a gostar demais.
Capão, Tramandaí, Torres, qtos lugares eu conheci...o IPA onde estudei e a SOGIPA onde fiz meu atletismo.
Saudoso estou agora...
POA da PONTE do RIO GUAÍBA!



Beijoka!