sexta-feira, março 17, 2006

Primeira vez


A boca
erra
esfrega
acerta
erra
acerta
esfrega
suga

A mão
carinha
não
aperta

Mariana aprende
a mamar.

8 comentários:

marcos pardim disse...

não importa se são palavras de mãe ou de poeta. ambas fecundam. germinam. e alimentam. 1 beijo

Edilson Pantoja disse...

Não gosto de expressões e atitudes, tipo: concordo com fulano. Mas acho que o Pardim, esse expert em expressar, disse bem.
Parabéns, Cecília.
Abraços de Belém!

mario pirata brincadeiro disse...

m'amei!

Azzuma disse...

Que bonito, Cecília.
A partir dessa semana estarei com um bebê no meu cotidiano.

Bjs

Cláudio B. Carlos (CC) disse...

Oi!
Gostei do poema.
Beijos do *CC*

douglas D. disse...

é simples, como tocante o é - poesia viva, que traz a beleza consigo.
bjo.

Renato disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ivã Coelho disse...

Alimentação sempre saudável vir aqui te visitar, mamãe poeta. Que coisa mais linda... Imagina quando a menina aprender a escrever e ler, vai ser só alumbramento.

Bijos especiais.