quinta-feira, setembro 28, 2006

Desistências

(Foto: George Hamilton)
Sou uma louca mansa.
Não ofereço
perigos
alarmas
necessidades de vigílias.
Tampouco é necessário
procurar-me
nas profundezas
nem nas encostas
onde pedras
e mariscos
peleiam.
No mar da beira
minha rendição
não merece
uma braçada.

12 comentários:

marcos pardim disse...

você é quem pensa... dou de lambuja que há quem nade até à exaustão pra te salvar...
bj.

Vítor Leal Barros disse...

lia, muito do que escreves entra-me e instala-se como se fosse meu...

beijo,

louco manso

NIKY - O CARA disse...



Cecília, eu adoro ler estes teus poemas curtos, que penetram dentro da gente como se ele fosse feito por mim.
Plagiando o Vitor aí em cima, é verdade mesmo o que ele diz.

Morei na Florêncio Ygartua, 200 qse na esquina com a Mostardeiro, vou colocar o seu link no meu, se der coloque o meu no seu.

Hi! que papo esquisito esse..rs

Beijoka fraterna...


PS:Tenho Orkut
EDUARDO BARROS foto com meu rosto em tom azul, se tiver será um prazer.

e uma comunidade chamada COMUNIDADE ESPIRITUAL DO ORKUT, pois sou espírita na linha de Allan Kardec.

Lu disse...

Ei, D. Lia, já trilhamos muitos caminhos de desistências, mas já notastes que somos sempre sobreviventes? É preciso generosidade até para saber desistir e isso nao te falta.
Beijo na alma

diovvani disse...

Não merece uma braçada? Mas palmas pra esse poema é certeza né não? Eu também não gosto das "profundezas" gosto mesmo é de nadar no "razin'. MontanhosoAbraçoDasMinasGerais.

Anônimo disse...

Ah, Cecília, não subestime a nós e às nossas braçadas...Senão salvarmos uns aos outros, hoje em dia, quem o fará?

Lindo poema, como de costume.

Ontem entrei por acaso em um Auxiliadora e sentei no banco das tuas palavras.

Adoro Poemas no Ônibus.

Beijos!

Anônimo disse...

O anônimo aí de cima sou eu, Mulher de Sardas!

marcia cardeal disse...

E haverá mansidão na loucura?
beijo

douglas D. disse...

há rendição
quando mergulhados em vôos
sem tempo pra terminar?

Ivã Coelho disse...

Profundas e profanas, poeta, suas palavras sempre me levam em outros pontos onde sempre me encontro.

Belezas infindas.

Poetamiga, beijos e mimos.

Fernando Palma disse...

A loucura é mais necessária que a própria sensatez.

Vicente Siqueira disse...

Oi, Moça.
Oi, Cecília.
Você me visitou e só agora eu retribuo a visita.
Quisera ter vindo mais cedo, mas alguns atropelos, talvez....
Moça, pra começar eu li seu primeiro contato no perfil e simplesmente fiquei me perguntando por~que não vim mais cedo.
Maravilhosamente bem descrito todo o conteúdo, que é uma mistura do mundo humano com o oceânico, mistura de atabaques com atobás, technicolor com albatrozes.
Simplesmente fascinante.
Gostei tanto da introdução que fui descendo e lendo tudo (ou melhor, consumindo) até chegar ao final da sua primeira página (as mensagens maiores apenas dava uma olhadela, mas salvei tudo para ler posteriormente of line - Creia: não deixarei de ler uma vírgula sequer, eu prometo), onde adorei, também as imagens.
Eu vou embora com uma constatação: Sei que nada será como antes depois de ler você.
Pra você e para a turma do Grupo Quinteto eu deixo doces.
Vicente